Thursday, July 19, 2007

Arriscar é: relação

Não fomos feitos para viver sozinhos.
A relação é estruturante de tudo na nossa vida,
A relação connosco, com a natureza, com os outros, com Deus…
É pelas perturbações e distúrbios relacionais que entra a infelicidade na nossa vida.
As relações podem tornar-se doentias por excesso ou insuficiência.
Há uma medida ajustada a cada relação e é preciso descobri-la.
A relação deteriora-se, arrefece, corta-se, ou cria-se, alimenta-se cultiva-se.
Que Deus não nos livre de uma vida com relações problemáticas
mas de uma vida sem relações.

Arriscar é: fazer férias

É importante fazer férias e aproveitá-las muito bem porque:

É sábio e humanamente sensato;
Temos limites;
Queremos mais e melhor no restante dia-a-dia;
É preciso receber e dar mais gosto á vida;
É preciso outro tempo para o encontro;
É preciso agradecer renovar a nossa identidade nas raízes;
É preciso criar distância das rotinas e proximidade do extraordinário;
Pôr em dia o atrasado que também nos preenche;
Estar mais presentes faz-nos falta;
Elas enchem-nos de memórias felizes;

Thursday, July 05, 2007

Arriscar é: aprender III

- Que não se deve olhar só para o prisma do sofrimento mas do amor. E valorizar a entrega, o compromisso amoroso com o que se vive e com quem se vive.

- Que o amor não é um sentimento, mas uma decisão até ao fim e incondicional.

- Que as pessoas coisas e as pessoas são importantes não tanto pelo gosto que te dão mas pelo gosto que colocas nelas.

- Que não se ama aquilo e aqueles com os quais não se gasta tempo.

- Que as saudades são positivas pois são sinal de que valeu e foi bom.

- Que não deves chorar porque as coisas acabaram, mas sorrir porque existiram.

- Que algo e alguém nunca é só mau, mas deves procurar o seu lado bom.

- Que Deus existe, e conduz direito por meio das linhas tortas da vida.

- Que amar doi, mas que esse doer dá sentido à vida.

- Que o amor é e deve ser sempre maior que os obstáculos e dificuldades.

- Que ser feliz não é não ter problemas, mas dar-lhes sentido pondo-lhes amor.

- Que o cansaço é o teu pior inimigo.

- Que é na união que está a força.

Arriscar é: aprender II

- Aprendes que se deve respeitar o tempo. Que se destroi depressa, mas se constroi devagar. Não se queimam, nem se antecipam etapas.

- Que ser grande fisicamente ou intelectualmente, não significa ser grande emocionalmente.

- Que para se ajudar devemos pensar pelo coração do outro, sem contudo termos a pretensão de compreendermos tudo o que vai dentro do outro.

- Que é pretensão querer entender tudo e aplicar receitas ou conceitos prévios ou frases feitas.

- Que não casos mas pessoas, e cada pessoa é única bem como as suas circunstâncias.

Arriscar é: aprender I

- Com o tempo aprendes que tudo pode acontecer.

- Aprendes que deves fomentar uma rede de suporte e não aprisionar a pessoa a ti como um coitadinho de estimação.

- Para ajudar não precisas dizer muita coisa mas a tua presença ou a tua disponibilidade oferecida já acrescenta muita segurança

- Que na doença grave e na morte perdemos muito da nossa identidade e por isso a nossa segurança vacila e as nossas atitudes revelam-se inesperadas

- Que não é em cima dos acontecimentos que estes se preparam ou se tem bagagem para os enfrentar… A esperança semeia-se.

- Que há várias formas de entrar e sair de uma situação, umas mais positivas ou negativas, a opção é tua.

- Que em cima dos acontecimentos ou factos não se vê bem. Há que dar tempo. O tempo que muitas vezes ajuda a ver melhor porque cria distância.

- Que depois de cuidar há que cuidar-se.

Arriscar é: incluir

Era uma vez uma rosa muito bonita que se sentia envaidecida ao saber que era a mais linda do jardim. Mas começou a perceber que as pessoas somente a observavam de longe.
Acabou dando-se conta de que, ao seu lado, havia sempre um sapo grande, e esta era a razão pela qual ninguém se aproximava dela. Indignada diante da descoberta, ordenou ao sapo que se afastasse dela imediatamente. O sapo, muito humildemente, disse: - Está bem, se é assim que queres...
Algum tempo depois o sapo passou por onde estava a rosa, e surpreendeu-se ao vê-la murcha, sem folhas nem pétalas. Penalizado, disse a ela: - Que coisa horrível, o que te aconteceu ?
A rosa respondeu: - É que, desde que te foste embora, as formigas comeram-me dia a dia, e agora nunca voltarei a ser o que era.
O sapo respondeu: - Quando eu estava por aqui, comia todas as formigas que se aproximavam de ti. Por isso é que eras a mais bonita do jardim...
Que Deus nos abençoe e nos ajude a descobrir e apreciar a “beleza" dos outros.

(Adaptado de Autor desconhecido)

Arriscar é: perceber

Percebemos que tem futuro não quando tudo corre bem  mas quando nos chateamos mas não queremos ir embora.